MUD Valinor


Warning: preg_replace(): The /e modifier is no longer supported, use preg_replace_callback instead in /home/mud/mud/www/modules/rplogs/rplog.class.php on line 386

Poema - O Sopro que Jamais Esquecerei

Poema - O Sopro que Jamais Esquecerei

Informações gerais

Título:
Poema - O Sopro que Jamais Esquecerei
Autor:
Jerasac
Tipo:
Obras IC em geral (Livros, poemas, músicas e cartas)
Participantes:
Local:
Ol-Edhellen
Data IC:
Por volta de 3083 TE
Data OOC:
05/12/2010

Resumo

Resumo: No texto a seguir, Jerasac conta de maneira poética a experiência de ter matado Ingeloakastimizilian, dragão de um sonho lendário das canções de um Bardo Viajante.

Certo dia de repente
Veio-me estranha inspiração:
Matar Morte Gélida
Dragão dos profundos sonhos de uma canção.

Cerquei-me de magias,
Tomei-me de coragem e bravura
E assim me senti apto o bastante
Para ir a essa arriscada aventura.

Chamei o bardo dos tais sonhos e canções
E pedi depressa o seu congelante cantar
Pois para ir em busca do meu inimigo
Essa canção seria a porta para o encontrar.

Quando o estranho homem começou a melodia,
De maneira inexplicável adormeci
E me senti saindo para fora de Arda
Ou talvez melhor: para fora de si.

Após um tempo dormindo
Repentinamente eu acordei
Mas nem mesmo em meus próprios olhos
De imediato acreditei.

Notei que estava no alto de um vale
Levantei-me e em direção a Gélida eu avançava;
Porém o medo como um Arauto da Covardia surgira
E como um vento forte para trás me empurrava.

Mas a coragem era mais forte
Audaciosamente assim continuei;
Após enfrentar águas quentes e correntezas
Na morada de Gélida eu cheguei.

Perto dele pensei se a inspiração de matá-lo
Veio de algum Vala de luz como uma provação
Ou pior: se tal dever veio de Melkor
Para minha inevitável perdição.

Imbuído de coragem e determinação
Na sala do terrível dragão entrei
E quero narrar de maneira poética
A cena aterrorizante que contemplei:

Rompeu-se uma camada de gelo que o cirdundava
Bradando um rugido cruel que o chão estremeceu;
Meu olhar para o dele era de pavor
E de frieza era o dele para o meu.

No começo da luta pensei se seria o fim
Para trás ficaria amigos, paz e a vida boa;
Pensei se eu estaria naquele momento
Diante da minha morte em pessoa.

Mas tomado de intrepidez
O meu inimigo eu enfrentava
Lançando-lhe eu vários ataques mágicos
E sobre mim o seu congelante sopro ele derramava.

Quando a mana já estava terminando
Achei que era o fim
Mas algo incrível em meu inimigo
Acontecia diante de mim:

Sua face parecia adormecer
E seu olhar desfaleceu em um murchar;
Seu corpo tornou-se em leves flocos de neve
Que de tão serenos se foram pelo ar.

Assim venci Ingeloakastimizilian
E dos estranhos sonhos me retirei;
Mas até hoje recordo-me de Gélida
Também de seu sopro que jamais esquecerei.

Como jogar?

Leia nosso Guia para Iniciantes e
jogue agora
(ajuda)

Esse recurso permite jogar sem instalar nada em seu computador, mas você também pode usar um cliente de MUD convencional.

Em caso de dúvidas, veja as perguntas mais frequentes ou faça a sua.

Dicas de jogo

Para aprender perícias e magias você precisa ter sessões de prática! Sessões de prática são ganhas automaticamente ao subir níveis.