MUD Valinor

A Maldição de Bri

A Maldição de Bri

Informações gerais

Título:
A Maldição de Bri
Autor:
Setzer
Tipo:
Log de interpretação genérico
Participantes:
Local:
Bri/Colina dos Túmulos
Data IC:
10º dia do Súlimë do 3036º ano da Terceira Era do Sol.
Data OOC:
09/11/2006

Resumo

Setzer e Minem correm contra o tempo em uma fantástica aventura pelas Colinas dos Túmulos, em busca de um fantástico artefato que poderia vir a quebrar uma terrível maldição.

A MALDIÇÃO DE BRI

PARTE 1

Gondor:    12 horas, 10º dia do Súlimë do 3036º ano da Terceira Era do Sol.

Era exato meio-dia quando os dois aventureiros Setzer e Minem haviam chegado ao Pônei Saltitante a procura do velho elfo Oengus Hood, o qual, por meio de carta, os convocou a uma missão desesperada com um objetivo para lá de macabro... Mas antes disso, deixemos para falar um pouco dos nossos heróis. Hum, bem, Setzer dispensa comentários pelas redondezas de Bri, onde desenvolveu praticamente todas as áreas de conhecimento possíveis para sua época, começando como Mago, e atuando atualmente como ladino experiente que há muito já aprendeu a ser. Quanto a Minem, ora, a sua fama é tamanha quanto a de Setzer para os arredores de Imladris, sua terra-natal. Seus conhecimentos de magia, principalmente as ofensivas, superam as expectativas, além. é claro, de outros atributos um tanto atraentes, tal como    a sua gorda conta bancária.... Mas voltando à história!

Sim, não havia como Setzer e Minem desprezarem o pedido de Oengus Hood, experiente elfo, notável pela sua capacidade de persuasão e de enxergar o que está por vir. Oengus era mais do que um grande sábio, era um verdadeiro visionário. A carta que foi enviada aos heróis brevemente dizia:

“Caro Setzer/Minem, Escrevo solicitando ajuda em nome da Vila de Bri, pois algo
terrível está para acontecer. Em nome de Ilúvatar, seja o mais breve    possível, Estarei
esperando sempre no Pônei Saltitante, às doze horas. “

Com Urgência,
Oengus Hood

E lá estavam, no famoso Pônei Saltitante! Famosa taverna lotada de beberrões de todos os tipos, gente mal encarada, ou apenas viajantes cansados que apreciavam o local para se alimentar com alguma especiaria da região ou então apenas ouvir as canções do famoso Bardo que há tempos vem exibir suas canções.
Muitos por aí dizem que aqueles que dormem ao som daqueles acordes acabam por adentrar em um mundo totalmente novo... Mas isso é história para outros e outros dias.
Ao entrarem na taverna, a pressa até mesmo fez nossos heróis ignorararem a sempre gentil recepção de Carrapicho. Setzer e Minem foram direto até a última mesa do canto da sala, onde Oengus repousava com um olhar pesaroso, e muito distante do olhar comum que ele sempre demonstrava.

Carrapicho falou 'Olá Minem! Faz tanto tempo que você não visita minha hospedaria. Espero que você ainda se lembre da qualidade dos nossos serviços'

Um bardo viajante canta, 'Em outro, por azar, a terra queima'...

Setzer suspira.
Oengus Hood exclamou 'Setzer, Minem, finalmente vocês chegaram!'
Oengus curva-se respeitosamente.
Setzer exclamou 'Oengus Hood!'
Setzer sorri para Oengus.
Minem prostra-se no chão, diante de Oengus.
Setzer ponderou 'Então..., recebi a sua carta...'
Minem Hardraad exclamou 'Saudações, nobre Oengus!'
Oengus Hood falou 'Eu temia que não viessem, mas no fundo sabia que podia confiar em vocês'
Setzer deu uma folha de papel para Oengus.
Minem deu uma folha de papel para Oengus.
Setzer exclamou 'Como sempre confiou, caro Oengus!'
Minem Hardraad exclamou 'Pode sempre contar conosco grande amigo!'
Minem sorri para Oengus.

Após os rápidos cumprimentos ao caro Oengus Hood, o qual nossos aventureiros não viam há alguns meses, logo perceberam a importância do perigo que o elfo os alertava, o semblante de Oengus logo tinha assombreado, e de forma pesarosa, sua visão ele contou:

Oengus Hood falou 'Eu tive um pressentimento terrível, audaciosos aventureiros.'
Setzer pergunta, 'O que?'
Oengus Hood ponderou 'Estava eu, fumando tranqüilo meu cachimbo, quando... '
Oengus Hood falou 'Minha mente se turvou e fiquei alheio a tudo ao meu redor. '
Oengus Hood falou 'Não, não era efeito do fumo.
Oengus Hood falou 'Vi claramente Bri pegando fogo. '
Setzer ponderou 'Eru... '
Setzer perguntou 'F... fo... Fogo?'
Minem Hardraad exclamou 'Por Elbereth!'
Oengus Hood falou 'Moças e crianças corriam por suas vidas. '
Minem Hardraad exclamou 'Que desastre!'
Setzer perguntou 'Mas quem? Como? Por quê?'
Oengus Hood exclamou 'E em seu encalço vinham enormes e asquerosos RATOS!'
Os olhos de Setzer se enchem de horror quando imagina tais cenas.
Oengus Hood falou 'Eles destruíam tudo. '
Oengus Hood falou 'E a cidade ficou desolada, nada mais do antigo verde. '
Minem Hardraad exclamou 'Minha nossa! Temos impedir que isto aconteça!'
Setzer perguntou 'Ratos! Mas como?! Ó malditas criaturas! Quem seria o ser tão cruel que as criou além do próprio Morgoth?'
Oengus Hood falou 'Quando acordei do meu transe, tive a certeza de que tudo era real. '
Setzer perguntou 'Mas, nobre amigo, o que podemos fazer?'

Subitamente, Oengus começou a falar com um tom mais acelerado, como se realmente tivesse pressa das afirmações que Setzer e Minem devessem saber, e continuou:

Oengus Hood falou 'Imediatamente chamei vocês dois, pessoas fortes em quem posso confiar.’
Oengus Hood falou 'Logo após mandar as cartas, fui para a biblioteca. '
Setzer faz Hmmmm.
Oengus Hood falou 'O mestre Ferion me ajudou e achamos diversas citações sobre ratos em tomos e pergaminhos antigos.'
Oengus Hood falou 'Mas uma em especial me chamou a atenção.'
Minem Hardraad falou 'Viemos o mais rápido que pudemos. '
Oengus Hood falou 'Eu sabia que viriam.'
Setzer perguntou 'Mas então, o que causa tamanha desgraça?'

Oengus novamente muda seu olhar, e como que uma chama negra em seus olhos opacos, um brilho sinistro de pesar e amargor emanavam daqueles olhos que muito já    viram, e a    partir de    então,    calmamente    Oengus começa a narrar os acontecimentos pesquisados, enquanto Setzer devorava uma torta de cerejas recém pedida a Nob, que atendia os clientes.

Oengus Hood falou 'Em tempos antigos, um velho sacerdote do mal rogou uma terrível praga. '
Oengus Hood ponderou 'Amargurado com a decadência de seus poderes e com o crescimento dos valorosos combatentes de Bri... '
Oengus Hood falou 'Os condenou a perecer sob os seres asquerosos. '
Minem Hardraad exclamou 'Que maldito!'
Oengus Hood falou 'E a serem destruídos por eles. '
Setzer ponderou 'Quão vil... '
Oengus Hood falou 'Sim, tão grande foi sua malícia. '
Oengus Hood falou 'Que um valoroso guerreiro o enfrentou e o derrotou, pois ele se consumiu de ódio. '
Oengus Hood falou 'Esse guerreiro, sabiamente lacrou seu cadáver vil nas Colinas dos Túmulos, na orla da Floresta Velha. '
Setzer ponderou 'Este guerreiro... '
Setzer perguntou 'Não seria Uthar? Uthar Darkbane?'

Minem surpreende-se ao ouvir o nome do guerreiro.
Oengus Hood falou 'Exatamente esse, e seu valor será um alto brado para Bri, durante o todo e sempre. '
Setzer ponderou 'Mas, nas redondezas da floresta Velha... '
Setzer falou 'As colinas. '
Oengus Hood falou 'Esses acontecimentos são antigos, porém, um artefato pode anular a praga. '
Setzer ponderou 'Ouvi lendas terríveis de braços... '
Minem Hardraad perguntou 'E qual seria, amigo?'
Oengus Hood falou 'A cabeça do antigo malfeitor. '
Oengus Hood falou 'Um artefato de grande poder. '
Oengus Hood falou 'Entretanto, grande mal reside naquelas colinas. '
Setzer ponderou '... Braços rastejantes... Criaturas tumulares... '
Oengus Hood falou 'Os cadáveres ganham vida e a própria terra é putrefata. '
Oengus Hood falou 'Ajam com coragem, sem nunca temer ir em frente. '
Minem Hardraad falou 'Ouvi relatos terríveis a respeito destes lugares. '
Setzer falou 'Ouvi lendas sobre essa região, mas... '
Oengus Hood falou 'E não temam os corpos decadentes daqueles que estão mortos. '
Setzer ponderou '... Não é para lá que... '
Minem conforta Setzer.
Setzer exclamou 'Certo! Nós vamos! '
Oengus Hood falou 'Eu não esperava outra resposta'.
Oengus sorri alegremente.
Oengus abraça Setzer.
Oengus abraça Minem.
Setzer abraça Oengus.
Minem sorri para Oengus.
Setzer falou 'Nunca temi nada além das próprias histórias do meu povo.'
Minem Hardraad falou 'Podem contar comigo... Não temo os mortos. '
Oengus Hood falou 'Vocês contarão com algumas armas preparadas especialmente para um inimigo tão profano. '
Minem sorri para Oengus.
Oengus deu uma espada longa para Minem.
Oengus deu uma terrível adaga negra para Setzer.
Setzer falou 'Vou encarar o perigo e com minhas próprias mãos trarei a cabeça da ordinária criatura'.
Oengus deu um pó venenoso para Setzer.
Oengus deu um pó venenoso para Setzer.
Minem examina cuidadosamente a espada.
Setzer perguntou 'Veneno?'
Oengus Hood falou 'Não é qualquer veneno, e sim extrato de folhas élficas’.
O olhar de Setzer brilha ao olhar pra uma terrível adaga negra.
Oengus Hood falou 'Porém, estejam avisados. '
Oengus Hood falou 'A duração de tal artifício não é grande. '
Oengus Hood falou 'E será este o tempo que terão para capturarem a cabeça profana.'
Minem Hardraad perguntou 'Senão, o que nos poderá ocorrer?'
Setzer exclamou 'Certo, tentaremos ser rápidos como quem rouba então!'
Setzer sorri alegremente.
Setzer ponderou 'Mas, senão?...'
Oengus Hood ponderou 'Senão... '
Oengus Hood falou 'Tudo estará acabado. '
Oengus Hood falou 'Há apenas uma chance. '
Oengus Hood falou 'Não a desperdicem, confio em vossa sabedoria.’
Oengus Hood exclamou 'Com a bênção de Varda, a Senhora das Estrelas, terão sucesso!’
Oengus Hood exclamou 'Agora vão! Cada minuto é precioso!'

Oengus levantou-se calmamente de sua cadeira, e com um brilho em suas mãos devido a uma tênue aura branca, abençoou os heróis com a proteção dos Valar.

Setzer falou 'Então por Bri, acabaremos com esse mal! A Terrível praga não assolará tão generosa terra, querido Oengus.'
Setzer exclamou 'Nos deseje sorte amigo!'
Oengus Hood falou 'Que o brilho das estrelas os acompanhe em sua árdua jornada pelos subterrâneos dos túmulos corrompidos. '
Setzer está num clima de concordância.
Minem se despede de Oengus com um triste 'Namárië!'
Oengus Hood exclamou 'Vão logo, seus tolos!'

PARTE 2    


Após a última palavra do velho elfo Oengus, não restava mais nada senão Setzer e Minem rumarem numa jornada contra o tempo, onde qualquer tipo de falha, Bri sofreria uma terrível praga. A cidade de Bri significava tanto para Setzer quanto para Minem. Uma vila calma de povo alegre e gentil, e para esses dois a destruição daquilo que ambos consideravam tão belo, era no mínimo catastrófico. Esse sentimento de amor alimentava ainda mais a determinação dos dois a voltarem com a cabeça do inimigo vil. Porém, na pressa todos poderiam estar sujeitos a muitas falhas, tal como nem sequer notarem que esqueceram de levar comida! Ambos correram para o norte da Vila passando pela verdejante praça, e seguindo em direção ao portão oeste, guardado por Hary o porteiro.

Minem Hardraad exclamou 'Abra! Hary!'
Setzer exclamou 'Abra! Não temos tempo! Bri precisa de nós!'

Imediatamente Hary abriu o grande portão de madeira que dava para um largo passadiço de mesmo material.
Setzer e Minem seguiam com pressa para o oeste em direção as tais Colinas, e a pequena vila de Bri, parecia cada vez menos vista do horizonte.
A dupla destemida seguia rapidamente, caminhando pela estreita trilha de terra que era a Estrada do Leste, à medida que avançavam pinheiros e demais árvores, que eram poucas nas proximidades de vila, começaram a aumentar cada vez mais em número até que em certo momento, perceberam que já estavam caminhando próximo a pequena floresta das imediações. Isso já ao fim de noite.


Setzer falou 'Vamos nos ocultar, a qualquer momento podemos ser atacados.'
Minem Hardraad exclamou 'Sim, Setzer!'
Minem Hardraad falou 'Como não sou perito em tais artes, utilizarei de minhas magias para não ser percebido pelos habitantes da floresta. '

Numa língua estranha, já há muito tempo compreendida por Setzer, Minem acabou transmutando a sua vontade em ação, e logo Minem estava invisível aos olhos comuns! Isso enquanto o experiente ladino já se esgueirava por entre os pinheiros, longe da percepção dos animais.


Setzer falou 'Graças a Iluvátar um dia me graduei como mago, e posso vê-lo.'
As copas das árvores parecem inquietar-se com sua presença...
Setzer falou 'Mas Minem, já está anoitecendo e a Floresta está próxima. '
Setzer falou 'Acho que devemos acampar. '
Minem Hardraad perguntou 'O que sugeres que façamos?'
Setzer falou 'Vamos ficar aqui mesmo e amanhã partimos. '
Minem Hardraad exclamou 'Ótima idéia!'
Setzer ponderou 'Vou te mostrar mais um segredinho de um velho larápio... '

Ao recitar em élfico as palavras 'Naur an edraith ammen!', um brilho cintilante surge no solo queimando as folhas secas e gerando uma pequena chama que logo ascendeu em tamanho!

Setzer sorri para Minem.
Minem Hardraad perguntou 'Precisas de água?'
Setzer está num clima de concordância.
Minem parece rir de alguma coisa, assim: 'heh heh heh'.

Da mesma forma que Setzer, Minem também utilizou sua energia espiritual para fazer fluir do subsolo um pequeno manancial, que jorrava continuamente um pequeno jato de água.

Minem sorriu para Setzer.
Setzer falou 'Um velho mágico, como fui um dia. '
Setzer se sentou.
Minem se sentou.
Setzer exclamou 'Porque está sentado? Monte a barraca!'
Minem Hardraad falou 'Sabe amigo... A magia é algo que está em meu coração. '
Setzer falou 'Preciso analisar o equipamento. '
Minem Hardraad exclamou 'Ah! Que cabeça a minha!'
Setzer falou 'E preparar alguma comida.'
Minem Hardraad exclamou 'Fui esquecer de montar nosso abrigo!'
Minem Hardraad falou 'Só um instante. '
Minem se levantou.
Setzer perguntou 'Aliás... Você trouxe comida?'
Minem Hardraad perguntou 'Não, você trouxe?'
As nuvens desaparecem do céu.
Setzer suspira.
Setzer se levantou.
O uivo de um lobo pode ser ouvido por perto...
Setzer falou 'Terei que caçar, mantenha a chama acesa. '
Minem pega um grande pano, uns pedaços de corda e algumas estacas de sua mochila.
Setzer ouve o estômago de Minem roncar.
Minem está com muita sede.
Minem crava as estacas na terra, amarrando-as no grande pedaço de pano.
Minem Hardraad falou 'Nosso abrigo está pronto.'
O uivo de um lobo pode ser ouvido por perto...
Minem sorriu para Setzer.
Minem bebeu água da fonte.
Setzer falou 'Você parece faminto, voltarei logo. '
Setzer exclamou ‘Sente-se, não me acompanhe!'
Minem Hardraad falou 'Está bem, irei aguardar aqui. '
Minem pára de seguir Setzer.

Em um QUASE momento de distração por parte dos heróis, as criaturas atentaram contra eles!
Uma gigantesca cobra venenosa foi atingida rapidamente por três vezes consecutivas pelos golpes ligeiros de Setzer que com um afiado espadim de cabo de marfim, finalizou a criatura, cortando a cabeça do réptil malicioso! Só que ao salvar a vida de seu companheiro, Setzer se jogou a frente de Minem em meio ao bote, sendo envenenado.
O sangue escorria do pescoço de Setzer enquanto Minem agradecia, mesmo que vendo a quantidade de sangue jorrando pela jugular do elfo Ladino.

Minem Hardraad exclamou 'Obrigado!'
Setzer falou 'Te salvei! Mas... '
Minem Hardraad exclamou 'O veneno desta cobra é mortal!'
Minem abraça Setzer.
Setzer exclamou 'Maldição!'
Setzer falou 'Ela me envenenou. '
Setzer sangra por toda a sala!
Setzer ponderou 'Lá vou eu... Mais um pouco de Magia... '

Num lampejo de energia ao recitar um pequeno verso élfico, o sangue de Setzer estanca e um gás venenoso evapora lentamente da pequena marca da ferida que restou.

Setzer ponderou 'Pelo menos não precisamos ir tão longe para caçar... '
Minem sorriu para você.

Olhando para o corpo decapitado da víbora, Setzer com habilidade retirava quatro grandes porções de carne do animal, assando em seguida com o fogo já a algum um tempo aceso. Os dois elfos se alimentaram para um o longo dia de aventura que viria a ocorrer no dia seguinte.

Minem Hardraad ponderou 'Há tempos que não como cobra... '
Setzer falou 'Sabia que pelo menos para alguma coisa a adaga viria a servir. '
Setzer come uma fatia de carne.
Minem se levantou.
Setzer esfrega a barriga e diz 'Hummm!'
Minem come uma fatia de carne.
Minem Hardraad ponderou 'Havia me esquecido do quanto é “saboroso”... '

Setzer perguntou 'Mas me diga... Entre nós... Não acha que o velho Oengus anda fumando demais?'
Setzer bebeu água de um cantil de madeira.
Minem parece rir de alguma coisa, assim: 'heh heh heh'.
Uma raposa marrom passa pelo acampamento, indo de leste para oeste.
Setzer perguntou 'Sim, aceitamos esta demanda... Mas, e se tudo isso não passar das conseqüências da erva da quarta sul?'
Minem Hardraad falou 'Sim... Mas temos de reconhecer que é sempre bom dar uma pitada... Principalmente quando se trata da erva dos pequeninos. '
Setzer ponderou 'Bem, já é tarde. '
Minem Hardraad falou 'Acho que não... Devemos confiar em Oengus.'
Setzer está num clima de concordância.
Minem Hardraad falou 'Vamos dormir, então. '
Setzer falou 'Ele mais do que tudo é um visionário. '
Setzer falou 'Boa noite. '
Minem concorda com Setzer.
Setzer entra na barraca.
As copas das árvores parecem inquietar-se com sua presença...
Setzer fecha os olhos e dorme profundamente.

Já passava da meia noite, e exaustos os dois dormiram próximo a mata. Talvez nada pudesse abalar o sono dos dois, porém as criaturas da floresta insistiam em tentar afastar nossos heróis das colinas, e de súbito Setzer acordou assustado com a peso de um grande logo grisalho que tinha avançado sobre seu peito!.
Com movimentos rápidos Setzer então desviou de duas mordidas do animal, o massacrando em um contra-ataque rápido e preciso em seu peito, derramando um sangue rubro e vivo em meio a seus pelos acinzentados. Assustado com o ataque repentino, Setzer acorda Minem:

Setzer acorda Minem.
Setzer exclamou 'Por Eru!'
Setzer exclamou 'Um lobo me atacou!'
Minem assusta-se.
Setzer ponderou 'Ainda bem que estava com a adaga por perto... '
Minem Hardraad exclamou 'Por Elbereth!'
Setzer falou 'Criatura da Floresta... Seja aceita como sacrifício'.
Setzer sacrificou um lobo cinzento em nome de Estë.
Minem Hardraad perguntou 'Setzer, não é melhor eu montar guarda?'
Setzer falou 'Durma, ficarei alerta. '
Setzer está num clima de concordância.

Minem Hardraad falou 'Podes dormir, cuidarei de tudo. '
Minem sorriu para Setzer.
Minem parou de descansar e se sentou.
Setzer agradece Minem, do fundo do coração.
Setzer    fecha os olhos e dorme profundamente.

Em meio à mata estavam os dois aventureiros. Que obstáculos mais essa dupla teria que enfrentar, você poderia imaginar, assim como Setzer pensava ao cair no sono da madrugada, tentando descansar do longo dia que passou, até que por volta das quatro da madrugada...

Minem acordou Setzer.
Setzer se espreguiça...
Setzer perguntou 'O... O que?'
Minem Hardraad exclamou 'Levante-se amigo! Estamos em cima da hora!'
Setzer ponderou 'Mas ainda nem amanheceu... '
Setzer boceja.
Minem Hardraad falou 'Se quisermos partir em segurança, devemos sair cedo. '
Setzer ponderou 'Ok, ok... '
Setzer parou de descansar e se sentou.
Setzer perguntou 'Vamos fazer o desjejum?'
Setzer ponderou 'Acho que sobrou um pouco de carne de ontem... '
Minem Hardraad falou 'Bem lembrado... Montar guarda me deu fome. '
Minem parece rir de alguma coisa, assim: 'heh heh heh'.
Setzer sorri alegremente.
Setzer come uma fatia de carne.
Minem come uma fatia de carne.
Setzer falou 'Bom, vamos partir, então. '
Setzer se levantou.
Setzer encheu um cantil de madeira com a fonte.
Setzer falou 'Apague a fogueira, não deixe marcas de nossa passagem. '
Setzer deu um cantil de madeira para Minem.
Minem despejou o conteúdo de um cantil de madeira sobre uma chama mágica, deixando o fogo mais fraco.
Minem encheu um cantil de madeira com a fonte.
Minem despejou o conteúdo de um cantil de madeira sobre uma chama mágica, que se apagou.
Minem Hardraad exclamou 'Vamos! O desconhecido nos espera!'
Setzer ponderou 'Ok, vamos... '
Setzer falou 'Mas antes... Uma velha magia que aprendi nos meus tempos clericais.'
Setzer ponderou 'Como rezar era maçante... '

Com uma prece em nome de Estë murmurada em um tom baixinho, os olhos de Setzer brilharam num clarão branco que em seguida sumiu como se não tivesse ocorrido nada.

Setzer exclamou 'Essa magia me deixará mais alerta!'
Começa um novo dia.
Setzer exclamou 'Vamos, o sol já está nascendo!'
As nuvens desaparecem do céu.
Minem Hardraad falou 'Antes... Novamente a magia da invisibilidade. ’

Minem falava enquanto novamente se tornava invisível, ao mesmo tempo em que Setzer já caminhava em meio à mata de modo furtivo e silencioso.

Setzer falou 'Me siga! Acho que segundo as indicações do Oengus posso localizar a entrada. '
Minem segue Setzer.
Minem Hardraad exclamou 'Vamos lá!'
Minem concorda com Setzer.
Setzer se escondeu.


PARTE 3

Caminhavam os dois por dentro da mata que se fechava a cada novo passo mais e mais, o local era escuro e o sol pouco podia ser visto senão pelos escassos raios que saíam de frestas entre as copas das árvores e projetavam um feixe longo e brilhante que chegavam às folhas do chão. Os lobos ainda estavam em seu horário de caça e matilhas inteiras de tais animais podiam ser vistas, além de outros animais um tanto mais nojentos, como um sapo imenso e particularmente desprezível. Podiam sentir Setzer e Minem que as horas passavam, quando os seus sentidos élficos já podiam sentir um clima tenso e desagradável que parecia vir de imensos salgueiros visíveis a algumas dezenas de metros, definitivamente estavam já na Floresta Velha.

Setzer falou 'Chegamos na Floresta Velha.'
Minem Hardraad ponderou 'O tão temido lugar... '
Setzer falou 'Os Salgueiros, dizem, se retorcem para impedir a passagem dos viajantes. '
Setzer falou 'Espere que não tenhamos a mesma sorte. '
Minem Hardraad falou 'Que eles não cruzem nosso caminho, e Elbereth nos proteja. '
Setzer ouve um ruído de alguma criatura. Mas qual?
Setzer está num clima de concordância.

Caminhavam lentamente pelo local, pisando nas folhas secas e se vislumbrando pelo tamanho dos gigantescos salgueiros, sem é claro, deixarem de ficar apreensivos com as lendas sobre o local, a floresta de longe era grande, mas mesmo assim era assustadora...
Eles sabiam que não deveriam estar lá, que pegaram um caminho deveras tão longo, e rumavam pela mata em direção ao leste quando se depararam um uma asquerosa criaturinha que até hoje não conseguiram identificar o que era!

Setzer perguntou 'Viu? Aquela criatura?'
Setzer bebeu água de um cantil de madeira.
Minem Hardraad falou 'Sim... Realmente horrenda. '
Setzer exclamou 'Ei! Pequeno!'
O Sol surge imponente ao leste.
Uma pequena criatura da floresta disse 'Hum! Sim?'.
Setzer engasga e diz 'ECA!'
Setzer ponderou 'Erm,... Colinas... '
Setzer perguntou 'Sabe para onde fica?'
Uma pequena criatura da floresta disse 'Hehe, sim sim meu Senhor... Ao leste. Tenha um excelente passeio hehehe.'
Setzer sussurrou para Minem 'Acha que devemos confiar?'
Minem Hardraad sussurrou para você 'Acredito que sim. '
Minem Hardraad sussurrou para você 'Estamos perdidos, não?'
Setzer falou 'Fique com Eru, então. '
Aparentemente uma pequena criatura da floresta disse 'N.. Erm, a sim, obrigado senhor elfo. '
Setzer sussurrou para Minem 'Só nos resta confiar. '

Já por volta das seis horas da manhã, estavam os dois aventureiros já a algumas dezenas de metros do último salgueiro, quando ao abrir da mata puderam vislumbrar o que eram algumas pequenas colinas de um tom enegrecido ao sudeste.

Setzer falou 'Logo adiante posso ver as colinas. '
Minem Hardraad ponderou 'Finalmente! Infelizmente, acredito que não iremos para um lugar muito melhor... '
Setzer falou 'Só resta-nos seguir. '

Caminhavam com dificuldade em um local pedregoso no qual as árvores pareciam escassas e as poucas restantes eram um tanto retorcidas também, muito assustador era o local que adentravam ao qual até mesmo o caminhar cansado parecia ser ainda mais insuportável.
Subiam por entre as elevações maciças de rocha quando se depararam com um enorme monólito de pedra.
O enorme monólito erguia-se perfeitamente perpendicular com o solo. Não possuía forma definida, porém parecia ter um significado: como um marco, ou um dedo guardião, ou mais ainda, um aviso. Ao tocar sua superfície, Setzer sentiu uma gélida e dolorosa sensação percorrer seus ossos e por um instante seu coração se encheu de medo e solidão.

Setzer falou 'Esta pedra. '
Setzer    falou 'Estranho.'
Minem Hardraad perguntou 'E agora?'
Setzer falou 'Subitamente um sentimento tão triste, como o sentimento de todas as criaturas que estiveram aqui sofrendo invade meus pensamentos. '
Setzer falou 'Mas devemos seguir, senão as pessoas de Bri terão um destino tão ruim quanto o que pode habitar nestas colinas. '
Minem Hardraad ponderou 'Parece que vivenciamos cada episódio sangrento que por aqui se passou... '
Minem parece fatigado pela sede...
Setzer exclamou 'Beba, Minem!'
Minem Hardraad falou 'Ah sim... Minha tristeza é tanta que me esqueço de minhas necessidades.'
Setzer funga tristemente.
Minem bebeu água de um cantil de madeira.
Setzer falou 'Prosseguimos... '

Após alguns minutos andando por entre as pedras, algo notável, porém nada animador surgiu diante dos dois personagens! Dois grandes flancos íngremes de colinas foram escavados na pedra, formando assim um portão de aparência talvez normal se estivessem em algum outro local que não fosse as Colinas dos Túmulos...

Setzer falou 'Chegamos aos portões. '
Setzer falou 'Não há mais como voltar atrás. '
Minem Hardraad falou 'Jamais cogitei esta hipótese. '

Seguiram adiante entre as pedras de coloração obscura, cor enegrecida pelo pesar e pela dor...


PARTE 4

Setzer falou 'O sol já nasceu. '
Setzer falou 'Será um fator importante para nós. '
Minem Hardraad exclamou 'Estou com você e com o povo de Bri até o fim!'

E certamente... Estavam indo em direção do que parecia o fim! O local era simplesmente macabro, as trilhas serpenteavam e em subidas e descidas, caminhavam por entre as rochas procurando algo de especial, foi nesse momento que Setzer avistou em meio a uma pedra algo no mínimo asqueroso! Um braço apodrecido rastejando com a ajuda de seus dedos... Realmente, uma coisa difícil de imaginar para qualquer um! Foi grande a vontade de o ladino dar um fim a criatura, porém um sentimento de remorso e culpa o impedia de fazer aquilo, ou melhor dizendo, alguma razão natural e oculta impossibilitava Setzer de fazê-lo.
Continuaram os dois em meio às colinas quando Setzer rastreando o local encontrou uma pequena pista:

Setzer falou 'Achei uma pista. '
Minem Hardraad perguntou 'O que?'
Setzer pegou um pedaço de couro do chão.
Setzer ponderou 'Isto foi curtido. ’
Minem examina o pequeno pedaço de couro cuidadosamente.
Minem Hardraad exclamou 'Sim!'
Minem Hardraad perguntou 'O que isso quer dizer?'
Setzer falou 'Alguém recentemente esteve aqui. '
Setzer exclamou 'Veja só! Pegadas!'
Setzer viu uma pequena pista ao sudeste...
Minem Hardraad perguntou 'Será que este alguém estivera procurando algo?'
Setzer ponderou 'É provável... '

Seguiram então os dois atrás daquelas pegadas de um pé grande e espaçado. Setzer e Minem já não agüentavam mais andar por aquelas bandas, não mais pelo esforço, mas sim pelo tédio e desânimo que aquela terra desolada proporcionava aos dois.

Setzer ponderou 'Meus músculos estão cansados... '
Setzer falou 'Nem ao menos descansar podemos nesta terra amaldiçoada'

Caminhavam pelas colinas a leste, isso já às oito horas da manhã quando algo realmente interessante ocorreu.

Setzer exclamou 'Veja estas pedras!'
Minem Hardraad exclamou 'Olhe só!'
Minem abriu a abertura.
Setzer faz ooOOooOOooOOoo.
Setzer ponderou 'Uma passagem... '
Minem parece rir de alguma coisa, assim: 'heh heh heh'.
Setzer falou 'Realmente. '
Minem Hardraad falou 'Vamos seguir por ela.'
Setzer falou 'Nossa aventura começa aqui... Posso sentir o cheiro putrefato vindo de dentro. '

Entraram pela abertura. Um lugar de aparência triste e desoladora, tanto quando o ambiente anterior, ou mais. O local parecia de longe um templo ou mausoléu, porém estava extremamente danificado, parecia que tudo estava para ruir. Um cheiro desagradável e uns climas secos impregnavam as narinas dos dois e os caminhos visíveis para seguir não pareciam nada animadores.

Setzer exclamou 'Eru! Que cheiro insuportável!'
Setzer falou 'Seguiremos adiante. '
Minem Hardraad exclamou 'O cheiro de carnificina está impregnando minhas narinas!'
Setzer exclamou 'Espere, chegou a hora!'
Minem pergunta a você, 'O que?'
Setzer falou 'Lembre-se das palavras do sábio Oengus.'
Minem exclamou 'o Veneno!'
Setzer exclamou 'Sem ele não teremos chances!'
Setzer falou 'Terei que envenenar estas armas com o próprio veneno do meu povo.'
Setzer falou 'E para isso terei que melhorar minhas aptidões.'

Um cântico élfico ecoava da boca de Setzer e medida que luzes sutis e tênues de coloração alaranjada encobriam seu corpo, deixando-o por algum tempo com uma destreza e capacidade de concentração maior que o usual.

Minem Hardraad exclamou 'Bem lembrado amigo!'
Minem pára de usar uma espada longa.
Setzer pára de usar uma terrível adaga negra.
Minem Hardraad falou 'Deixarei a tarefa de envenenar as armas em suas mãos, pois és perito em tais habilidades. '
Minem deu uma espada longa para Setzer.

Calmamente Setzer, pegou o pó venenoso dado por Oengus Hood, colocando-o dentro do seu cantil. À medida que misturava lentamente a substância de coloração verde, Setzer sabia que o cantil já seria inútil para ele, já que sua experiência em envenenamentos o informava de que o couro do objeto já estava impregnado da substância venenosa.
Após fazer a mistura, Setzer lentamente espalhou com a ajuda de um tecido o veneno sobre a adaga e a espada longa, também entregada a eles por Oengus. E neste momento os dois se lembraram que agora não podiam perder mais tempo, pois somente enquanto as armas estivessem com aquele veneno mágico eles teriam chances de derrotar as criaturas que estivessem lá. Após terminar com o envenenamento a dupla de heróis seguiu por entre as salas obscurecidas pelas sombras e pela morte.

Setzer ponderou 'Como mesmo vê eu sou... '
Minem parece rir de alguma coisa, assim: 'heh heh heh'.
Setzer deu uma espada longa para Minem.
Setzer exclamou 'Vamos! O tempo está contado!'
Minem agradece Setzer, do fundo do coração.
Setzer empunhou uma terrível adaga negra.
Minem empunhou uma espada longa.
Setzer exclamou 'Que Ilúvatar proteja nosso caminho!'
Minem Hardraad falou 'A batalha nos espera! '
Setzer vê uma pequena pista ao sul...
Setzer exclamou 'Ou seria melhor não encontrarmos nada perigoso!'

Continuaram os dois entre aquele lugar que mais se assemelhava a um grande túmulo. Será que aquele local amaldiçoado serviria de tumba também para os dois aventureiros?, pensaram eles. O local que adentraram era de uma complexidade incrível, não sabendo se aquilo tudo era obra de quem o projetou ou então efeito dos constantes desabamentos que    a área sofreu. Enfim, o lugar era horroroso e por mais que andassem, mais salas, mais túmulos e mais cheiro de morte encontravam.

Setzer perguntou 'Minem, poderoso mago, como foram seus estudos de magia da mente?'
Minem Hardraad perguntou 'Razoáveis, por que perguntas?'
Setzer falou 'Bem, poderia tentar usar sua mágica para procurar a cabeça e pouparmos tempo.'
A terra sofre um tremor e parece que tudo à sua volta afunda um pouco...
Setzer falou 'Tente obter uma visão. '
Setzer exclamou 'Já ajudaria!'
Minem Hardraad falou 'Posso tentar... Mas isto exige um pouco de concentração, então faça silêncio. '

Após alguns minutos de concentração, Minem estava estático ao centro da sala parecendo deslumbrado com uma visão presente ao infinito, certamente muito longe do que Setzer poderia ver!

Minem Hardraad exclamou 'Obtive êxito!'
Setzer perguntou 'O que viu?'
Minem Hardraad ponderou 'Me parece que ela está com alguém que esteve por aqui... '
Setzer perguntou 'Como que essa pessoa é?'
Minem Hardraad exclamou 'Um... Um... Violador de túmulos!'
Setzer ponderou 'Por mais malditos que sejam os mortos... '
Setzer falou 'Um violador aqui... Eles não merecem que seu descanso, ou quase,    seja atrapalhado.'
Minem concorda com Setzer.

Logo após saber quem era de fato a pessoa que estava de posse do artefato místico, Setzer se lembrou do pequeno pedaço de couro encontrado no chão, que segundo Minem poderia pertencer ao equipamento do maldito Violador, estas lembranças associada à experiência de Setzer que um dia já foi conhecido como o “Ranger Verde”, fez com que observasse novamente pelo chão os rastros daquele que poderia ser o maior problema nesta demanda.
Algumas salas adiante, quando encontraram um enorme altar esculpido na pedra em homenagem a quem lá foi enterrado, Minem foi surpreendido por uma criatura de aparência longe de ser humana! Por Eru, aquilo era longe de se parecer com qualquer coisa que já se tinha visto! A única coisa que pode ser percebida é que ela não queria os heróis invadindo estes salões.

Minem em meio ao desespero recorreu as suas já tradicionais rajadas de ácido, conhecidas entre o meio mágico simplesmente como “Acetum Primus”. O mago era experiente, mas mesmo assim não conseguia desviar de muitos dos ataques ensandecidos da criatura.
Quando Setzer percebeu o que estava ocorrendo, partiu com uma apunhalada certeira no que seriam as costas do monstro. O veneno da adaga pareceu causar na vítima uma agonia sem igual, e a fúria movida pela dor deu a chance de que Setzer com um incrível chute rodopiante a acertasse em contra-ataque devido ao golpe mal raciocinado.

Setzer exclamou 'Ufa!'
Setzer exclamou 'Avaliei mal o local!'
Minem Hardraad exclamou 'Conseguimos amigo!'
Setzer dá muita risada.
Setzer pegou uma chave cinza do corpo de uma criatura tumular maior.
Setzer falou 'Para que será que serve essa chave? Na dúvida, é melhor guardar. ’
Minem Hardraad falou 'Talvez precisemos dela. '

Olhando para o chão em frente ao altar Setzer percebeu algo muito interessante, respondendo imediatamente a sua duvida.

Setzer ponderou 'Uma passagem... '

Na base do altar, uma reentrância adornada claramente feita para acomodar uma chave é usada por Setzer, que abre o altar.
Minem diz, 'ooOOooOOooOOoo.'
Setzer pisca sugestivamente para Minem.

Estavam num compartimento amplo e secreto! O local estava ricamente decorado com muitos tapetes espalhados pelo chão e pendurado nas paredes, eram de uma manufatura élfica e muito valiosos! Definitivamente, quem ali descansa em paz em vida foi uma pessoa muito rica, porém, o tempo não permitia muito os vislumbres de Setzer e Minem que seguindo pistas e mais pistas continuaram por uma passagem.

Setzer viu uma pequena pista ao sul...
Setzer exclamou 'Se esconda!'
Setzer se escondeu.
Setzer viu uma pequena pista ao sul...
Setzer abriu a porta.

Não deu tempo de Minem se ocultar e outra criatura um pouco menor já o estava atacando... Algumas rajadas de ácido depois, Setzer já irritado com a imprudência de seu companheiro, respirou fundo e calmamente falou:

Setzer falou 'Estas criaturas não querem mais invasores. '
Setzer falou 'Como lhe sugeri... Fique invisível. '
Minem Hardraad ponderou 'Ah! Devemos nos precaver... '
Minem desapareceu!
Setzer exclamou 'Assim poupa grandes esforços!'
Minem concorda com Setzer.
Setzer falou 'Mais pegadas. '
Setzer ponderou 'As mesmas encontradas antes... '
Setzer viu uma pequena pista ao leste...

Já estavam a algumas horas explorando as salas amaldiçoadas quando o barulho de alguém destruindo algo pôde ser ouvido vindo de uma passagem para cima de outro entre tantos mausoléus explorados, olhando além, por uma fresta, Setzer viu que se tratava de um homem forte que no momento arrombava um sarcófago e pilhava o que lhe convinha. Ao redor viram algo que fez com que o coração de Setzer batesse    mais rápido! Uma terrível e horrenda cabeça mumificada estava jogada em meio a outros pertences descartados pelo violador. Ao ouvir o relato Minem num ato impensado subiu e avançou sobre o violador!

O violador, com reflexos muito mais aguçados que os de Minem, mordeu seu braço impedindo o golpe de sua espada. Minem revidava e golpeava aquele homem que era certamente muito mais forte que o Mago! Minem já apelava para a magia quando Setzer já frustrado com a imprudência do amigo resolve ajudá-lo a acabar com aquele ser que de longe para ele era uma criança comparado as técnicas que possuía.

Minem brada em Sindarin: 'A Elbereth Gilthoniel!'.

Aos brados de Minem, Setzer já apunhalava o inimigo pelas gostas com um golpe rápido e ligeiro e já quase desfalecido, o violador pereceu diante da explosão de ácido invocada por Minem que atravessou o seu peito e espalhou pelo corpo já morto, deixando apenas um vestígio de sangue e vísceras no chão!

Minem Hardraad exclamou 'Achamos!'
Setzer exclamou 'Você está pegando prática com isso!'
Setzer exclamou 'Ei! Veja!'
Setzer faz ooOOooOOooOOoo.
Setzer pegou a cabeça mumificada.
Minem parece feliz! Uau, que barato!
Setzer perguntou 'Será esta?'

Olhando para aquilo, Setzer sentia nojo. A cabeça estava comida pela metade e o crânio parecia poder ser aberto como uma tampa. Ack, simplesmente revoltante...

Setzer engasga e diz 'ECA!'.
Minem deu um cantil de madeira para Setzer.
Setzer exclamou 'Argh!'
Minem Hardraad exclamou 'Encontramos a salvação de Bri!'
Minem levanta os braços e corre pela sala gritando 'Weeeeeeee!'
Você falou 'É horrível! Vamos, temos que sair logo daqui'
Setzer    falou 'E quanto ao violador...'
Minem Hardraad perguntou 'o que tem ele?'
Você ponderou 'Pobre espírito que se aproveita das mortes alheias... '
Você falou 'Nem mesmo Estë aceitaria tal sacrifício... Vamos. '
Setzer bebeu água de um cantil de madeira.
Setzer exclamou 'Vamos!'

Com um misto de felicidade e uma tremenda vontade de sair daquele lugar deprimente, Setzer e Minem corriam por entre os túmulos amaldiçoados pelo mesmo caminho pelo    qual achavam terem vindo! Como a pressa atrapalha a mente, logo os dois estavam entrando por uma porta que entre tantas outras poderia ser a saída do local, só que de fato não foi!
Minha nossa! Em que fria os dois se meteram ao olharem para frente e verem algo terrivelmente grotesco e assustador, e ao olharem para trás e verem algo talvez pior, a porta sendo lacrada por um desmoronamento repentino!
A frente dos dois uma série de criaturas putrefatas num total de nove, se alimentavam da carne fresca obtida sabe-se lá Eru de onde! A cena era desagradável, vísceras acinzentadas ou amareladas eram jogadas às alturas enquanto fuçavam as entranhas em busca da carne tenra, e o cheiro de mais carne viva adentrado o território maldito fez com que de relance elas saltassem em direção aos heróis dando início a    uma luta que claramente era desproporcional.

As criaturas mortas avançavam em direção de Minem e Setzer, sendo revidadas por golpes mágicos de Minem que com um ar confiante desviava de seus golpes estrangulantes! Setzer parecia estar um tanto confortável enquanto com saltos rodopiantes atingia monstro por monstro, desferindo em seguida golpes precisos com a adaga venenosa em seus pescoços. Logo, o número de criaturas estava reduzido a dois, que se esforçavam em vão tentando atingir os dois aventureiros. Não restava mais nada senão desferir a última punhalada e o último ataque de ácido, e logo não restava mais nada no local, senão corpos mortos fervendo sob o efeito do veneno élfico que derretia rapidamente a amaldiçoada carne morta, deixando um cheiro asqueroso pelo ar. A batalha estava vencida, mas de longe aqueles zumbis não eram os maiores problemas, pois nossos heróis estavam presos! Talvez condenados a serem enterrados vivos em meio àquela lápide gigante. Onde foram se meter Setzer e Minem...

Setzer exclamou 'Eru!'
Setzer exclamou 'Onde nos metemos!'
Setzer exclamou 'Como sairemos daqui!?'
Setzer falou 'Caímos numa armadilha. '
Minem Hardraad perguntou 'E agora Setzer!?'

Setzer pára para pensar e vasculha sua memória em busca de um tipo de artifício poderia utilizar para sair daquele local... Sabia que se implorasse para seu Vala, acabaria sendo transportado para Valfenda! E isso significaria ter que viajar por dias e mais dias até Bri! E como sabemos não tinham tempo para isso.
Como todo ladino, Setzer era realmente bom em se livrar de situações difíceis, mas no momento teve que recorrer à mágica remanescente de quando era mago, pois se lembrou do que podia salvar a sua e a vida de Minem!
Lembrou daquele terrível braço que hesitou em matar, e percebendo que até a mais pobre de todas as criaturas podem ter uma utilidade. Setzer se concentrou no braço rastejante, e , depois de alguns segundos, recitou algumas palavras mágicas, e um portal apareceu em sua frente!

Setzer pisca sugestivamente.
Minem Hardraad exclamou 'Grande truque!'
Setzer    exclamou 'Rápido, pelo portal!'

Estavam Setzer e Minem no topo de uma das colinas em frente àquele braço asqueroso que definitivamente teve o seu fim das mãos do próprio Setzer. Já era de tarde e não tinham mais tempo, teriam que correr de volta para Bri e encontrar Oengus Hood!

Setzer falou 'Até mesmo esta maldita criatura que eu vi anteriormente tinha um destino nobre, meu amigo'
Minem Hardraad ponderou 'Sua inteligência é louvável... '
Setzer exclamou 'Vamos dar o fora!'
Setzer agradece Minem, do fundo do coração.

PARTE 5

Já eram duas da tarde quando Minem e Setzer estavam novamente nas imediações da Floresta Velha, andando por entre as árvores, quando o mago encontrou um elfo que chorava em meio a relva, uma cena um tanto melancólica, fazendo Minem perguntar:

Minem Hardraad sussurrou para você 'Por que este elfo chora?'
Setzer exclamou 'Já é de tarde!'
Setzer sussurrou para Minem 'E não serei eu que irei perguntar, vamos.'

Caminhavam com pressa ignorando a dor e o cansaço de uma longa aventura, estavam tão animados por terem saído daquele túmulo gigante que não se precaveram e quando já estavam saindo das proximidades da Floresta Velha ao encontro de um indício da Estrada do Leste, novamente um lobo ataca Setzer que rapidamente desvia e atinge com seu punhal envenenado.

Minem Hardraad exclamou 'Malditos lobos!'
Setzer está num clima de concordância.
Minem Hardraad exclamou 'Crias malignas do Inimigo!'
Setzer falou 'Vou caminhar furtivamente'.
Minem Hardraad exclamou 'Eu os amaldiçôo!'
Setzer se escondeu.
Um lindo pássaro voou para o leste.
Setzer falou 'Estou faminto'.

Após mais algumas milhas de caminhada, lá por volta das quatro da tarde, Setzer e Minem já tinham deixado parte da Floresta. Ainda tinham algumas árvores nas proximidades, mas já podiam olhar para o céu azul e o melhor, estavam na Estrada do Leste!

Setzer exclamou 'Ufa! A Grande Estrada do Leste!'
Setzer falou 'Vamos acampar'.
Setzer MASSACRA a raposa marrom com seu golpe fulminante!
A raposa marrom gritou furiosamente e caiu inerte no chão!
Minem Hardraad exclamou 'Graças à Elbereth!'
Setzer exclamou 'Já temos nossa refeição!'
Setzer falou 'Vou cortá-la rápido antes que o veneno da adaga se espalhe'.

Setzer pegou um espadim ebúrneo de um portal extradimensional.
Setzer pára de usar uma terrível adaga negra.
Setzer empunhou um espadim ebúrneo.
Setzer corta três pedaços de carne do corpo da raposa marrom.
Setzer pára de usar um espadim ebúrneo.
Setzer ouve o estômago de Minem roncar.
Setzer está com muita fome!
Setzer empunhou um espadim ebúrneo.

Setzer exclamou 'Vamos! Monte a barraca!'
Setzer exclamou 'O tempo é curto!'
Setzer falou 'Logo teremos que partir novamente. '
Minem pega algumas estacas de madeira, algumas cordas e um grande pedaço de pano de uma mochila.
Setzer novamente utiliza-se das velhas palavras de poder 'Naur an edraith ammen!',
criando um lampejo incandescente que logo em seguida em meio às folhas secas forma uma pequena fogueira que foi usada para cozinhar a carne da raposa morta.

Setzer deu uma fatia de carne para Minem.
Setzer come uma fatia de carne.
Setzer não está mais com fome.
Setzer se engasga e vomita. Nojento!
Minem está morrendo de fome!
Setzer se contorce em dor.
Setzer exclamou 'Droga!'

Setzer exclamou 'O veneno se espalhou!'
Setzer exclamou 'Não fui rápido o suficiente!'
Minem ri de Setzer sem piedade.
Minem Hardraad falou 'Acalme-se... "A pressa é inimiga da perfeição", já diriam os velhos pequeninos. '
Setzer ponderou 'Mais um pouco de magia élfica... '
Minem Hardraad falou 'É minha vez de lhe salvar. '

Minem solenemente pronunciou as mesmas palavras élficas que uma vez Setzer já havia dito quando foi atacado por uma cobra, livrando assim seu amigo do terrível veneno de sua própria arma e um estranho calor percorreu o corpo de Setzer.
Setzer agradece Minem, do fundo do coração.
Minem Hardraad falou 'Pronto. '
Minem está morrendo de fome!
Setzer exclamou 'Maldição! Terei que conjurar os malditos cogumelos!'
Setzer exclamou 'Como eu os detesto!'
Setzer engasga e diz 'ECA!'

Setzer dizendo em um idioma élfico as palavras ‘Criar Comida’, e transforma pela força de sua vontade a mana que flui do seu corpo em energia para que fungos rapidamente se multipliquem pelo solo criando assim dois grandes cogumelos!

Setzer pegou dois cogumelos mágicos.
Setzer comeu um cogumelo mágico.
Minem crava as estacas na terra, amarrando-as no pano e montando a barraca.
Setzer falou 'Vamos descansar... Logo estaremos em Bri então. '
Minem Hardraad falou 'Abrigo pronto. '
Setzer deu um cogumelo mágico para Minem.
Minem saboreou um cogumelo mágico.
Setzer entrou na barraca.
Setzer falou 'Irei me deitar. '
Setzer fecha os olhos e dorme profundamente.


PARTE 6

Minem acordou Setzer.
Minem Hardraad exclamou 'Vamos!'
Setzer perguntou 'Hã?'
Setzer perguntou 'Já?'
Setzer está com muito sono.
Minem Hardraad exclamou 'As armas estão se deteriorando cada vez mais rápido!'
Setzer se espreguiçou e levantou.
Minem sacode Setzer.
Setzer exclamou 'Sim! Vamos! Não temos mais tempo!'
Setzer exclamou 'Vamos o que está esperando!'
Minem se levantou.
Minem Hardraad ponderou 'Tenho sede... '
À medida que Minem traça um anel pelo ar, uma suntuosa fonte emerge.
Minem bebeu água da fonte.
Setzer exclamou 'A vila de Bri está próxima!'
Setzer exclamou 'Adiante!'
Setzer exclamou 'Vamos ir voando!'
Minem Hardraad exclamou 'Continuemos então!'


Ao dizer essas palavras, logo os dois já estavam distorcendo ao redor dos mesmos todas as    possíveis leis naturais que os impediam de deixar o solo, para assim pouparem tempo energia na corrida pelo salvamento de Bri. Não necessitariam mais da valiosa mana para nada, pensaram.
Logo em seguida já estavam novamente no centro da vila, descendo ao Sul e adentrando o Pônei Saltitante, local combinado para encontrarem Oengus Hood, isso tudo já ao anoitecer! Já estavam há mais de um dia inteiro nessa empreitada!

Setzer falou 'O Pônei Saltitante'

Entraram na estalagem e já puderam ouvir os versos do bardo inspirando e divertindo os viajantes que lá estavam:

Um bardo viajante cantou, 'Ser de maldade pura. '
Um bardo viajante cantou, 'Sem piedade, mata tudo. '
Um bardo viajante cantou, 'Da raiz à água. '
Um bardo viajante cantou, 'Sua aura é fatal. '

Carrapicho disse 'Olá Setzer! Olá Minem!'

Um bardo viajante cantou, 'Com um toque frio te afaga'.

Setzer sorri para ele.
Carrapicho dá um belo tapa no seu rosto.
Setzer faz ooOOooOOooOOoo.
Minem Hardraad exclamou 'Boas Tardes Senhor Carrapicho!'
Carrapicho disse 'Haha! Brincadeira, amigo!'
Setzer perguntou 'Viu o Oengus?'
Carrapicho disse 'Sim! Está aqui!', disse Carrapicho, apontando para a taverna em si.
Carrapicho disse 'Entrem!'
Setzer exclamou 'Obrigado!'

Seguiram pela porta indicada e novamente indo para a última mesa do bar lá encontraram Oengus, em meio à fumaça e beberrões que dançavam e bebiam mais e mais...

Setzer se sentou.
Minem Hardraad exclamou 'Nobre Oengus!'
Setzer exclamou 'Chegamos!'
Minem sorri para Oengus.
Setzer jogou a cabeça mumificada no chão.
Oengus pegou a cabeça mumificada.
Minem prostrou-se no chão, diante de Oengus.
Minem se sentou.
Oengus Hood falou 'Finalmente! Estava ficando aflito. '
Setzer exclamou 'Essa cabeça maldita custou quase nossas vidas!'
Oengus Hood falou 'Mas folgo em ver que vocês estão bem. '
Setzer exclamou 'Por pouco ficamos presos em meio àqueles seres do outro mundo!'
Minem Hardraad falou 'Passamos por maus bocados naquele lugar esquecido por Eru.'
Setzer exclamou 'Sim!'
Setzer exclamou 'Bendita seja a Magia!'
Oengus Hood exclamou 'Histórias podem ser contadas depois, não podemos esperar mais!'
Setzer exclamou 'Execute o Ritual!'
Minem Hardraad falou 'Se não fosse por nossos conhecimentos adquiridos a duras penas... Não estaríamos aqui. '
Oengus Hood falou 'Ele não pode ser feito em qualquer lugar, deve ser em frente à estátua do grande benfeitor desta vila, Uthar Darkbane.'
Setzer está num clima de concordância.
Oengus Hood falou 'Sigam-me. '
Setzer exclamou 'Vamos!'
Setzer segue Oengus.
Setzer se levantou.
Minem Hardraad exclamou 'Vamos salvar a vila!'
Minem se levantou.
Setzer exclamou 'De pé Minem!'
Setzer exclamou 'O Tempo é curto, Senhor Oengus, Vamos!'


FINAL

Correram Setzer, Minem e Oengus como loucos para o Sudeste de Bri, onde a estátua do benfeitor jazia.
Uma grande escultura de mármore em meio a Avenida da Lei de um homem empunhando uma espada contra um inimigo invisível! Um tanto enorme este inimigo pela posição do benfeitor. Pela rua em fim de tarde só se via a Senhora Monteiro cuidando de suas crianças que já estavam longe de lá e o velho guarda de Bri que patrulhava as ruas a procura de agressores...

Oengus Hood exclamou 'Aqui estamos!'
Setzer exclamou 'Aqui!'
Setzer prostra-se perante a Estátua de Uthar Darkbane!
O Sol avermelhado desaparece no horizonte ao oeste.

Senhora Monteiro disse 'Olá Oengus! Olá Setzer e Minem!'
Setzer falou 'Não temos tempo. '
Setzer sorri alegremente.
Setzer disse solenemente, 'Sono Profundo. '
Senhora Monteiro dorme profundamente.

Invocando um símbolo sagrado, fruto de sua fé nos poderes do Único, Oengus inicia um ritual onde banhou a cabeça do malfeitor com seu próprio sangue derramado por um pequeno corte feito em seu pulso e disse em alto e bom som:

Oengus Hood exclamou 'Em memória de Uthar, ofereço-a como sacrifício!'
Oengus Hood falou 'Que se quebre a grande maldade há muito elaborada.'
Oengus sacrificou uma cabeça mumificada em nome de Uthar Darkbane.
Setzer percebe que sua adaga se desintegrou.

As preces e o silêncio são quebrados de repente:

Oengus gritou 'O guarda viu tudo! Quebrem as pernas dele!'
O guarda olha ao redor e começa a tremer incontrolavelmente.
O guarda fugiu desesperadamente.
Minem deu muita risada.
Setzer fez cara de nada.
Setzer perguntou 'Oengus, será que deu certo?'
Setzer ponderou 'Aparentemente não aconteceu nada... '
Minem Hardraad perguntou '... Não!?'
Setzer deu de ombros.
Setzer exclamou 'Bem... Quem sou eu para não confiar nas sutilezas de Oengus Hood!'
Setzer pisca sugestivamente para Oengus.
Minem parece achar graça de Setzer, e começa a rir assim: 'heh heh heh'.
Setzer dá muita risada.
Oengus Hood falou 'Hoje vocês me ajudaram a salvar muitas vidas da catástrofe eminente. '
Oengus Hood falou 'E por isso têm minha eterna gratidão. '
Minem sorri para Oengus.
Oengus Hood falou 'Porém, saibam que não é o fim. '
A noite começa.
Oengus Hood falou 'Há muitos males mais antigos e perigosos que rondam a Terra-Média. '
Minem Hardraad falou 'Estaremos sempre aqui amigo, para lhe auxiliar na luta contra o mal. '
Setzer exclamou 'Pelo menos com um dos males acabamos!'
Setzer exclamou 'E que Eru, abençoe esta Vila e que ela prospere para sempre!'
Oengus Hood falou 'Que assim seja. '
Setzer perguntou 'Mas e agora... Que tal acertarmos o pagamento?'
Setzer parece rir de alguma coisa, assim: 'heh heh heh'.
Oengus fulminou Setzer com um olhar penetrante.
Minem Hardraad falou 'Que os valar velem por este lugar. '
Minem Hardraad falou 'E conserve o povo aqui. '
Oengus concorda com Minem.
Setzer ponderou 'Tá... Mais um dia de herói... '

Já passava das nove da noite quando o ritual enfim terminou, nossos nobres heróis foram para a estalagem de Carrapicho e tiveram um merecido sono depois de quase dois dias de uma fantástica aventura. Porém, ao nascer do Sol, Setzer e Minem acordaram com gritos do guardião do norte que gritava repetidamente em voz forte e firme:

O Guardião do Norte gritou 'POVO DE BRI! Ajudem-me a eliminar essa praga que ataca nossa vila! Darei uma moeda para cada rato morto que me entregarem!'


*FIM*




Como jogar?

Leia nosso Guia para Iniciantes e
jogue agora
(ajuda)

Esse recurso permite jogar sem instalar nada em seu computador, mas você também pode usar um cliente de MUD convencional.

Em caso de dúvidas, veja as perguntas mais frequentes ou faça a sua.

Dicas de jogo

Não vê o que está digitando? Usando telnet? Baixe um cliente! HELP CLIENT